Arquivos do futebol

O Futebol do passado

Nem deu tempo para dar uma nova saída. Ainda bem!

Em pé:  Mineiro, Munt, Enéas, Adauto, Jorge e Marín.Agachados: Lula, Madureira, Anito, Antônio e Odir.

A primeira rodada do Campeonato Carioca de 1941 prometia muitos gols. Afinal, já se prognosticava uma goleada do Fluminense sobre o Canto do Rio, do Flamengo sobre o Madureira e também do Botafogo sobre o Bangu, em General Severiano.Mesmo sendo domingo, o jogo entre os dois clubes atraiu pouco público ao estádio do Botafogo. A superioridade alvinegra era tanta que ninguém se entusiasmou a ir ver um duelo tãodesigual. O Botafogo era comandado pelo técnico da Seleção Brasileira na Copa de 1938, Adhemar Pimenta, e tinha acabado de voltar de uma vitoriosa excursão de sete jogos pelo México e Estados Unidos. Nessas partidas, o artilheiro Carvalho Leite tinha anotado dez gols e prometia ainda maispara a estreia do Carioca.

O Bangu, por sua vez, tinha feito uma campanha péssima no ano anterior, terminando em último lugar no Campeonato Carioca. Por isso, o técnico Antônio Manfrenatte foi chamado para mudar tudo para 1941, embora não dispusesse de bons elem

entos para formar uma defesa forte.
O ataque era o ponto alto da equipe. Três eram “pratas-da-casa”: o ponta-direita Lula, o centroavante Anito e o meia-esquerda Antônio “Meu Filho”. Aliou-se a eles o meia-direita Madureira, vindo do América Mineiro e o ponta-esquerda Odir, egresso do América/RJ. Eles eram a esperança de que o Bangu iria balançar muitas vezes as redes adversárias. Tantas vezes que iriasuperar a quantidade de gols que o goleiro Jorge iria sofrer.

Os botafoguenses tomaram a dianteira logo aos 8 minutos, com um gol de Carvalho Leite. A vant

agem no marcador durou até os 25 minutos, quando o habilidoso ponta Lula deixou tudo igual. Aos 28, uma surpresa: Antônio “Meu Filho” virou o placar para o Bangu.
O esforço pareceu em vão, pois até o primeiro tempo terminar, o Botafogo voltaria a tomar as rédeas da partida. Carvalho Leite, por duas vezes, fez o “garoto do placar” modificar o marcador para 3 a 2 a favor dos alvinegros. Tudo parecia correr de acordo com os prognósticos. O Bangu iria perder na estreia.
Não se sabe exatamente o que ocorreu no segundo tempo, mas logo no início Anito empatou a peleja em 3 a 3 e o pequeno público de General Severiano já não sabia mais o que poderia ocorrer naquela tarde.

Murilo restabeleceu a vantagem alvinegra ao fazer 4 a 3, mas o Bangu não estava morto e Antônio empatou novamente: 4 a 4.
Num jogo com tantas oportunidades era provável que o vencedor só fosse definido no último minuto. E foi o que ocorreu. Não foi Carvalho Leite quem decidiu, mas sim o banguense Anito que chutou para o fundo das redes do goleiro Aymoré Moreira quando o tempo já estava acabando. Era
o quinto gol dos “Mulatinhos Rosados”, era a inimaginável vitória por 5 a 4.
Quando fez o gol, Anito se jogou no gramado. Braços abertos, logo foi soterrado pelos companheiros que o abraçavam, comemorando o triunfo. O juiz José Pereira Peixoto não teve outra alternativa: olhou para o cronometro, apitou o fim do jogo. Não deu tempo sequer para o Botafogo dar nova saída.

BANGU (RJ) 5 X 4 BOTAFOGO (RJ)
Data: 04/05/1941
Campeonato Carioca
Local: General Severiano (RJ)
Árbitro: José Pereira Peixoto
BANGU: Jorge, Pará e Mineiro; Nadinho, Munt e Adauto;
Lula, Madureira, Anito, Antônio e Odir / Técnico: Antônio
Manfrenatte.
BOTAFOGO: Aymoré Moreira, Graham Bell e Nariz; Laxixa,
Zezé Procópio e Zarci; Patesko, Heleno de Freitas,
Carvalho Leite, Geninho e Murilo / Técnico: Adhemar Pimenta.
Gols: Anito (2), Antonio (2) e Lula; Carvalho Leite (3) e Murilo
Obs: Lula e Zarcir foram expulsos

Crédito e Fonte: http://www.bangu.net

maio 7, 2011 Publicado por | Arquivos do Futebol, Bangu A.C., Súmulas | Deixe um comentário

   

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.